por Andréa Araújo dos Santos.

Na semana do professor, muitas memórias são resgatadas, muitas emoções são afloradas e as músicas ofertadas a nós, os poemas, os stories do Instagram, as fotos de formatura, entre outras evidências,  resgatam vivências e nos lembram o quanto fazer a diferença na vida e na transformação de várias pessoas, é incrível! Inclusive na nossa!

Ensino médio e suas particularidades! Qual professor ou professora que nunca tinha adentrado em uma sala do Ensino Médio e sentiu um frio na espinha, quando, no momento de atribuição de aulas, a coordenação/direção disse: temos aulas no Ensino Médio. Caso você não tenha experimentado essa sensação, tudo bem! Mas, eu senti!

O Ensino Médio, desde o primeiro ano, é momento decisivo de escolhas profissionais pelos estudantes. Esse é um passo difícil e que gera uma tensão emocional, além de outras que estão atreladas à idade e às escolhas.

Durante o desenvolvimento dos conhecimentos até chegar ao terceiro ano do Ensino Médio, que é o marco do temido distanciamento e da escolha profissional, muitas situações são enfrentadas pelo professor(a) que trabalha nesta modalidade, mas posso dizer, com certeza, que foram meus melhores anos de docência (não menosprezando os demais segmentos. Segundo Tardiff, (2014, p.37-38-39) a prática docente desenvolve vários saberes, os pedagógicos, os disciplinares, os curriculares e os experienciais.

 

 

 

 

 

 

 Muitos alunos, após a finalização do Ensino Médio, voltam a se comunicar com seus professores (na verdade alguns nem deixam de ter contato). O retorno é para externar o quanto fizemos a diferença em sua vida e para contar sobre a sua escolha profissional; isso acontece com você? Essa comunicação é sensacional e reforça a visibilidade da nossa importância sobre futuros adultos e profissionais.

Segundo Monteiro e Martins, (2009, p. 1701), que realizaram estudos sobre os fatores que determinam um bom docente para o segmento do Ensino Médio, reconhecemos três dimensões de um educador bem sucedido perante a comunidade de estudantes: a dimensão pedagógica, a dimensão relacional e a dimensão pessoal.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Acredito ser importante conhecer cada uma dessas dimensões e alinhá-las ao dia a dia do professor(a). Esse segmento precisa valorizar, em suas estratégias de ensino, o protagonismo dos alunos. Claro que essa ação deve acontecer em todos os segmentos, mas os jovens estudantes anseiam por serem ouvidos e por realizarem debates onde podem trazer seus pontos de vista e dissipar dúvidas.

E por falar em debates, fazer a mediação destes requer uma pré organização de combinados. Durante, é necessário cuidar da vez e voz de quem deseja externar e do modo como acontece a escuta e a fala de cada um. Acrescento aqui, a necessidade de conhecer mais sobre estratégias socioemocionais (clique aqui para saber mais sobre esse tema), afinal, desenvolver esse tipo de habilidade é muito importante para uma discussão sadia. Posso afirmar que ao final dos momentos de debates, saímos com a certeza de que os alunos estão amadurecendo e nosso olhar deve ser cada vez mais empático.

A preparação para o vestibular e para o Enem são outros pontos que permeiam o desenvolvimento das aulas do Ensino Médio. Como citado, a pressão do último ano é o enorme, para todos, então nós professores(as), temos que buscar meios de compreender e alcançar as necessidades desses alunos.  É um ciclo onde o abandono é uma ameaça, principalmente entre os alunos mais vulneráveis; assim, o planejamento de aulas significativas à realidade, ao contexto e com protagonismo dos alunos, é fundamental.

Tenho certeza de que, muitos dos leitores se viram nesses parágrafos e as memórias resgatadas deixam saudades.

Parabéns, professores do Ensino Médio! Os jovens caminham a passos largos rumo ao futuro e você é parte importante desta caminhada. Continue plantando e com certeza em breve terá a visibilidade da colheita!

_____________________________________________________________________________________________

 

Referências

MONTEIRO, Renata Gomes e MARTINS, Pura Lúcia Oliver. Quem é o bom professor para estudantes do ensino médio In: IX Congresso Nacional de Educação EDUCERE, PUC-Paraná, Curitiba. http://www.academia.edu/download/31856054/BOM_PROF_-_ENS_MEDIO.pdf

Rieger. A. Competências socioemocionais na escola //www.eloseducacional.com/educacao/competencias-socioemocionais-na-escola/. Acesso em 24/09/2020.

Tardiff, M.  Saberes Docentes e formação profissional. (17ª ed). Petrópolis. Vozes. 2014.