por André Lopes

Escolas públicas e privadas de ensino médio cada vez mais procuram desenvolver Projetos de Vida com os estudantes. A iniciativa tem como objetivo ajudar que pensem, reflitam, planejem, promovam um autoconhecimento e estabeleçam metas que possam lhe auxiliar em suas futuras escolhas e nos passos que darão depois de encerrada a educação formal.

O Projeto de Vida dispõe de um período na grade escolar e propõe uma reflexão sobre nossa existência, uma preciosidade: tempo para pensar a vida. Com tantos conteúdos estudados durante a época escolar, condicionados por vestibulares difíceis e disputados, o tempo é algo valioso; em uma sociedade com tantos estímulos externos, parar para dar sentido a vida é um aprendizado.  

Esta é, sem dúvida, uma iniciativa fundamental para que, durante o ensino médio, o jovem possa se preparar melhor para enfrentar as inúmeras decisões a serem tomadas, a insegurança e as frustrações inevitáveis, e também para lidar com as alegrias, esperanças e conquistas.

Trabalhar o Projeto de Vida permite que a escola e o docente ampliem e aprofundem discussões das matérias tradicionais: reflitam sobre o sentido da escola e do esforço que se realiza nos estudos; pesquisem carreiras e necessidades do mundo, da sociedade, da comunidade e do bairro; questionem o papel que o alunato deseja desempenhar para si mesmo e para o mundo. Permite ainda o compartilhamento das experiências e visões de vida de cada estudante: refletir sobre a família, a tradição, a hereditariedade, as amizades e os amores; debater ansiedades, frustrações, lições, carências; pensar sobre os talentos, os sonhos, as oportunidades; navegar pelas emoções e sentimentos guardados que nos ajudam a entender quem somos.

São muitos os caminhos que permitem trabalhar o Projeto de Vida com os estudantes do ensino médio: textos, vídeos, tertúlias literárias, filmes, debates, apostilas, meditações, atividades no entorno da escola, trabalho voluntário – é preciso que a escola apoie este trabalho e o educador ou educadora se planeje. Estamos tratando do Projeto de Vida dos estudantes – sonhos, anseios e sentidos para a vida – e do Projeto de Sociedade, pois são esses jovens de 18 anos que determinarão os rumos da coletividade por meio de seus pensamentos e atitudes. Terminado o ensino médio, o jovem – agora cidadão com os direitos e deveres legais – assumirá inevitavelmente uma responsabilidade por si próprio, esteja ele ou ela preparado(a) ou não. Nesse contexto, o Projeto de Vida significa uma oportunidade de prepará-lo e prepará-la emocional, intelectual e empaticamente para a vida em sociedade, para conviver consigo mesmo e com aqueles que estão em sua volta.

Eis alguns temas que podem ser trabalhados nas aulas de Projeto de Vida: primeira infância; relações familiares e hereditariedade; quem sou eu? – instintos, cultura, experiências, emoções, crenças; perdoar-se; quem é o outro e a empatia; cooperação e conexão de grupo; comunicação e escuta; consciência do planeta; talentos e sonhos; meditação e intuição; nutrição alimentar e consciência corporal; dimensão emocional; nutrição afetiva; legado e sentido.

Pretendo, em minhas futuras publicações, aprofundar cada um dos temas citados. Continuem acompanhando para mais novidades.

___________________________________________________