(11) 2669-1270 / 4994-0309

Muitas vezes, é comum membros da equipe escolar, como professores e funcionários, alegarem “não saber” de determinada ação iniciada na escola ou “não terem sido informados” de alguma mudança ocorrida nos processos da instituição. Isso se dá, pois infelizmente, nem sempre a comunicação interna é cuidada de maneira a assegurar que todos tenham acesso as mensagens que a escola precisa e quer comunicar.

Cabe dizer que a comunicação no processo de gestão de equipes é aspecto crucial para o engajamento dos indivíduos e a construção coletiva de um clima organizacional que potencialize a realização de práticas eficazes. Isso se dá pelo alto impacto causado pelas mensagens que comunicamos.

Nesse sentido, Cabral (s/d, p.70) aponta que a comunicação pode contribuir para: “Dar transparência aos fenômenos organizacionais; Dar abertura para o dialogo; Favorecer a gestão participativa; Propiciar um clima de bem-estar”, reforçando assim o aspecto de relevância da comunicação nos ambientes de trabalho, dentre eles, a escola.

Por seu aspecto de significância, é comum existir dois tipos de problemas de comunicação nas instituições: o chamado “turbilhão” e a comunicação perdida.

O conhecido “turbilhão” ocorre quando as informações são conflitantes ou parciais, tendo como efeito a ocorrência de ruídos e distorções, além da diminuição da credibilidade do emissor – aquele que comunica.

Além do “turbilhão”, também há o problema da comunicação perdida, ou seja, quando a mensagem não atinge as pessoas que deveriam atingir,fenômeno esse que, por vezes, é muito comum nas escolas.

Diante desses problemas que podem ser causados pelo processo de comunicação nas instituições, faz-se importante cuidar atentamente da comunicação que é cotidianamente emitida. Sobre esse aspecto, Hermosa (1990, p. 83, apud Cabral, s/d, pg. 70) *notaCABRAL, Valeria. Um ensaio sobre a Comunicação interna pós-industrial em sua dicotomia – discurso e prática, s/d. sinaliza que o principal objetivo desse cuidado com a comunicação realizada nas instituições passa “pela busca da obtenção da sinergia”.

Cenários e desafios da comunicação em relação à gestão de pessoas

Um estudo publicado pela Revista Comunicação 360° em junho de 2010 apontou alguns cenários e desafios existentes no processo de comunicação institucional. Acerca dos cenários e desafios apontados, aparece a questão da comunicação que, por vezes, é fragmentada. Além disso, também foi citado o desafio de cuidar da simplicidade nas mensagens enviadas, que é outra reflexão de grande importância no contexto escolar: aquilo que comunicamos está claro e é de fácil compreensão para todos os receptores?

No que se refere a esse aspecto, uma “dica” é sempre submeter as mensagens que desejamos emitir à análise crítica de diferentes membros da equipe, a fim de opinarem sobre que aspectos não são de fácil compreensão ou não tenham sido entendidos. Isso é comum ocorrer, pois muitas vezes, partes dessa mensagem estão claras para quem a elaborou, porém não estão explicitas no comunicado produzido.

O estudo realizado pela mesma revista recupera esse cuidado por parte das instituições que comunicam suas mensagens, uma vez que ela deve se dar de maneira assertiva, evitando o movimento de “rádio peão” que corriqueiramente são tão comuns nos ambientes de trabalho.

Comunicação e gestão humanizada

Diante dos desafios postos no processo de comunicação, a atuação pautada em uma gestão humanizada, que ouve todas as pessoas implicadas no processo, envolvendo-os e fortalecendo o sentimento de pertencimento durante a tomada de decisão no processo de comunicação, tende a gerar resultados mais positivos.

Dar voz a todos e partilhar as etapas de reflexão e atuação nas demandas das instituições permitem a construção do sentimento de pertencimento, corresponsabilidade e maior engajamento de todos – aspectos cruciais para instituições preocupadas com a realização de uma gestão humanizada.

Não há dúvidas do poder da comunicação nos processos e resultados das instituições. Saber o que comunicar, quando comunicar, quais são os canais a usar e o momento ideal para fazer essa comunicação são elementos estruturantes e decisivos no processo de gestão da comunicação.

Diante disso, o movimento institucional de comunicação se faz necessário existir em uma perspectiva de gestão humanizada, que acolhe, escuta atentamente e envolve todos os indivíduos no processo de tomada de decisão, o que aumenta consideravelmente as chances de que os resultados esperados com essa mensagem a ser emitida sejam mais exitosos.
Por: Alex Moreira Roberto – Coordenador de Projetos na Elos Educacional