(11) 2669-1270 / 4994-0309

Pauta formativa: Construção de saberes docentes em reuniões pedagógicas.

Andréa Araújo dos Santos.

O presente artigo trata da importância da elaboração de uma pauta formativa para um encontro com os professores, isto é, para uma reunião pedagógica.

 

Organizar e realizar um momento pedagógico não é uma tarefa tão simples. Por esse motivo, é necessário que tenhamos um objetivo que pretendemos alcançar e, assim, tornar esse momento de encontro coletivo o mais proveitoso possível.

 

O essencial é desenvolver uma reflexão para que esse momento deixe de ser meramente formal e que passe a fazer parte da construção de reflexões pautadas nas necessidades observadas no cotidiano escolar. Para tanto, é importante que tenhamos, como gestores escolares, um olhar mais pautado nos objetivos que queremos alcançar no encontro com os professores para  além de um momento de distribuição de orientações e de um espaço burocrático. Sabemos que é necessário reservar momentos para encaminhamentos e distribuição de informes, porém, elaborar momentos de construção de saberes e de vivências é de suma importância.

 

O momento de formação coletiva deve ser elaborado previamente e várias etapas precisam ser pensadas para que se possa alcançar o que foi pretendido com intencionalidade para cada ação, isto é, o que quero que seja compreendido nesse momento. Também elaborar situações que favoreçam o aprendizado ou início de reflexões que serão norteadoras de encaminhamentos para a necessidade elencada e priorizando a aprendizagem dos alunos.

 

A elaboração da pauta formativa necessita, em primeiro lugar, de uma busca, sendo ela sobre o (s) objetivo (s) que quero alcançar. Esses objetivos podem ser encontrados nas necessidades observadas no cotidiano escolar, por exemplo, nas estratégias aplicadas em sala de aula para monitorar o aprendizado acerca de uma disciplina. Depois disso, é importante pensar em ações que auxiliem o grupo de professores a autorrefletir sobre as estratégias que estão sendo aplicadas e considerar as novas possibilidades que caberiam como auxílio para as dificuldades de aprendizagens percebidas.

 

Para Roberto Sidnei Macedo a formação necessita de um conjunto de condições e mediações para que as aprendizagens pretendidas sejam alcançadas. Entendemos que as mediações são ações, de certa forma, mais centralizadas nos gestores, mas construindo momentos onde todos se tornem participantes dos processos de reflexão.

 

“É nestes termos que Bernard Honoré nos incita em toda a sua vasta obra sobre a formação a, em vez de viver as práticas de formação ingenuinamente, sem questionamentos, ou se satisfazendo com questões curtas e rapidamente fechadas em respostas fáceis e reconhecidas como evidentes, faz-se necessário se dirigir à formação como fenômeno a se descobrir.” (Roberto Sidnei Macedo, p. 117)

Um ponto bastante interessante para ser debatido em reuniões pedagógicas é a prática em sala de aula pensando nas estratégias que estão sendo aplicadas, e que resultam em resultados positivos para a aprendizagem dos alunos. Elaborar momentos para que o corpo docente possa conhecer boas práticas e refletir sobre elas em seu cotidiano em sala de aula poderá favorecer a autorreflexão dos professores. Essa ação favorece a construção de novos encaminhamentos acerca das estratégias apresentadas, possibilitando que sejam aplicadas em sala de aula, promovendo novas experiências ou aprimorando as já praticadas com os alunos.

“Uma estratégia muito utilizada nas escolas que adotam a perspectiva colaborativa é o estudo sistemático de questões que emergem da prática dos professores, como comenta a coordenadora pedagógica da escola “A”: “[…] normalmente, busca-se, em algum texto, a fundamentação teórica. Os professores estudam, discutem como trabalhar […] você tem a fundamentação e a prática em sala, e é esse processo que tem provocado a mudança”

https://gestaoescolar.org.br/conteudo/324/como-elaborar-boas-pautas-para-as-reunioes-pedagogicas

Segundo Tamassia, nos momentos de reunião pedagógica é preciso formular espaços para reflexão da prática e estudos. Para tanto, uma introdução com um início acolhedor, apresentando um vídeo, um texto ou um poema é importante para envolver a todos. Pensar em diversos momentos para aprofundar os estudos sobre o tema, por meio de estudos de casos, leituras de fragmentos de artigos, reflexão com apresentação de vídeos com depoimentos ou documentários também são importantes; além disso, selecionar instrumentos para colher o conhecimento prévio sobre o tema é um termômetro para medir o quanto aprofundar no assunto ou realizar retomadas.  Também é primordial proporcionar momentos para debates, em duplas ou grupos, onde os professores possam realizar encaminhamentos sobre os fatos analisados. Socializar o que foi construído e, ao final, sistematizar o encontro, fechando o tema e os objetivos com o que foi produzido é a última etapa do planejamento dessas pautas, cujo caráter central é garantir que estes sejam momentos genuinamente formativos.

 “Para Pierre Dominicé, a formação é um objeto movente, que implica ser compreendido através dos seus processos, das suas dinâmicas, das evoluções, em geral contraditórias. “A formação é sempre singular, mas esta singularidade se constrói através dos percursos socializados, habitados por heranças coletivas” (Dominicé, 2007, p.199)

Nessa perspectiva, as reuniões pedagógicas são momentos de provocações e aberturas para reflexões, tanto para as necessidades mais emergenciais quanto para oportunizar as percepções de futuras pautas, com temas que são aderentes à realidade dos docentes, dos alunos e da dinâmica escolar. O objetivo é criar momentos para escuta e observações apuradas, auxiliando o corpo docente perante as práticas em sala de aula, para desenvolver um ensino e aprendizagem de qualidade com equidade.

REFERÊNCIAS:

Aurélio Amaral, Gestão Escolar, Como elaborar boas pautas para as reuniões pedagógicas. Disponível em: https://gestaoescolar.org.br/conteudo/324/como-elaborar-boas-pautas-para-as-reunioes-pedagogicas. Acesso em 05/08/2017.

Dalcorso, Claudia. “Caminhos para uma gestão Educacional Inovadora”, capítulo 03, “O papel do Coordenador pedagógico na formação continuada dos professores em serviço”, Silvana Ap. Santana Tamassia, in Claudia Dalcorso. Jundiaí, Paco editorial: 2015.

Macedo, Roberto Sidnei. Compreender/ mediar a formação: o fundante da educação / Roberto Sidnei Macedo; prefácio de Marie-Christine Josso; apresentação de Jacqueline Monbaron-Houriet- Brasília: Liber Livro Editora, 2010.

Mosé, Viviane. A escola e os desafios contemporâneos/ organização e apresentação Viviane Mosé. – 2ª ed. – Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

Tardiff, Maurice. Saberes docentes e formação profissional/ Maurice Tardiff. 17. Ed. – Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.