Compartilhar:

por Fernanda Zerbinatti

A arte de ser formador na Elos Educacional

A palavra “formador”, num primeiro momento pode remeter-nos à uma perspectiva de fabricador de moldes em série e este pode ser um grande equívoco no entendimento do real papel de um formador educacional.

Para compreendermos a magnitude que se esconde no exercício da formação continuada, em especial, a promovida pela Elos Educacional, é essencial uma aproximação a este território tão fértil e ao mesmo tempo tão desafiador: a qualificação da aprendizagem de todos os alunos das escolas brasileiras.

Aproximação esta, que difere de suposições baseadas em achismos e extrapola o senso comum para percorrer uma jornada de estudo, comprometimento e entusiasmo pelo que se acredita e se faz.

Ser formador é antes de, mais nada, a personificação do desejo de enxergar para além do óbvio. É aventurar-se na realidade problematizada do outro e desbravar cenários muitas vezes desacreditados, compartilhando o brilho do olho no olhar de quem muitas vezes encontra-se na escuridão de suas próprias incertezas.

A função exige em primeira estância disponibilidade de superação, pois os primeiros desafios são aqueles decorrentes das próprias fragilidades. É preciso coragem para transpor os obstáculos que se apresentam de forma inusitada.

Vencer os próprios limites significa acreditar que é possível sempre ser e fazer melhor. Ao mesmo tempo, possibilita nas parcerias, na pesquisa e no estudo a busca por alternativas eficazes para a solução de pontos de atenção ou mesmo correção de rotas.

É preciso sensibilidade para pedir licença e opinar num espaço que não é seu, mas que será compartilhado na medida em que a confiança se fortalecer pelo vinculo da palavra, da ação e da competência.

Você ficará exposto, suas fragilidades serão reveladas ao seu grupo de trabalho em diferentes contextos, ocasionando uma nudez profissional e ao mesmo tempo pessoal, que perpassa a sua vontade. A entrega é tão plena, que se torna impossível não ser quem realmente és. E isto é incrível! Um espaço que se torna um ambiente seguro na medida em que nos disponibilizamos a aprender e caminhar juntos. Seu grupo de trabalho será um grande provedor de seu aprimoramento nas mais diferentes perspectivas.

A conquista do outro, passa a ser sua também! Como diria Rubem Alves sobre a metáfora do casamento e o jogo de frescobol: “Não existe adversário porque não há ninguém a ser derrotado. Aqui ou os dois ganham ou ninguém ganha.”

A humildade deve ser refinada a todo tempo, para que a sensibilidade permaneça presente nas reflexões sobre o outro e suas necessidades. O trabalho nunca será para você; sempre será em função do outro.

Para ser formador é preciso usar da firmeza como recurso de ajuda para que as pessoas por você orientadas desenvolvam a capacidade de criar hábitos e processos fundamentados na perspectiva da gestão estratégica nos mais diversos contextos.

Quando a esperança está por um fio e as incertezas e adversidades insistem em fazer morada, abalando as estruturas até então tidas como seguras, a presença honesta e coerente do formador por meio de intervenções propositivas, faz a diferença na manutenção da perseverança, da coragem e da tomada de decisão de forma assertiva.

Ser formador na Elos é uma oportunidade única de viver o que se acredita. Consiste de fato fazer o que se fala; na verdade vai além, é fazer o que se acredita: contribuir diariamente para uma educação melhor todos os dias para todos os alunos.

Uma frase de Steve Jobs traduz um pouco da dimensão deste vasto território que é ser formador: “Simplesmente somos entusiasmados com o que fazemos”.